:::: MENU ::::

quinta-feira, 27 de março de 2014



Todo bom jogo de estratégia requer experiência para assimilar os conceitos e variáveis envolvidas para tomada de decisões otimizadas. Mais do que qualquer jogo de cartas comum, em Vampire, conhecimento é poder. E mais, quanto maior o conhecimento do metagame (o extra-jogo), melhor você irá se sair. Conhecimento este que abrange muitas áreas, como o conhecimento de cartas, estratégias, efeitos, ambientação, leitura corporal, etc.




Segue então a tradução do excelente guia estratégico do Asklepios, encontrado no Lasombra.com. Dividirei o guia nas seguintes partes:

1 - Jogando pelo GW
2 - Construção de Deck e Seleção de Cripta
3 - Arquétipos e Estratégias
4 - Jogando pela Mesa
5 - Metagaming

O post de hoje abordará o item 1 e a primeira parte do item 2.

1. Jogando pelo GW


Se você leu o manual de regras ou já está familiarizado com o jogo, você deve saber que em VtES é determinado vencedor o jogador  pelo número de Pontos de Vitória (VPs). Você ganha um VP matando a sua presa, você ganha um VP sendo o último Matusalém na mesa e você ganha um VP se conseguir se retirar da mesa com sucesso.

Em torneios, joga-se com cinco jogadores em cada mesa (idealmente). Esse é o número de jogadores para qual o jogo foi planejado e balanceado - menos ou mais irão mudar a natureza do jogo, que iremos explorar mais à frente, mas vamos presumir que serão 5 jogando em uma mesa por enquanto.

Para um jogo de 5 jogadores, cada um deles pode potencialmente conquistar 5VPs - um para cada Matusalém que matar, e um por ser o último sobrevivente na mesa. Isso significa que 3VP é o número alvo para o Game Win (GW - quem ganha a mesa). Rodar a mesa pode ser foda impressionante, mas o seu jogo deve ser centrado em conquistar esses 3VPs - se você conseguir, você tem o GW. É ANTIESPORTIVO almejar qualquer coisa abaixo disso, pois um jogador que não está fazendo um esforço para conseguir esses VP's eestá ARRUINANDO a experiência e dinâmica do jogo, e agindo ativamente para que outro jogador vença.

3 VPs podem ser alcançados de diversas maneiras. A mais fácil é matar duas presas e ser o último sobrevivente da mesa. Um deck Malk 94 suficientemente agressivo pode conseguir 3VPs apenas matando suas presas, podendo ser morto depois disso. 

Para alcançar esses 3VPs você deve cumprir duas regras:
1) Matar no mínimo duas presas;
2) Não ser morto pelo seu predador.

Tudo o que você fizer deve ter em vista cumprir essas duas regras,inclusive em casos em que o juiz for chamado, sua explicação deve embasar-se nessas duas regras.


2. Construção de Deck e Seleção da Cripta


Regras de torneio determinam um tamanho de cartas Library de 60 a 90, e uma Cripta de no mínimo 12 cartas. Quase sempre, você estará objetivando ter uma Library de tamanho máximo permitido (90 cartas) e uma Cripta com exatamente 12 vampiros e/ou imbuídos. 

Existem exceções, mas para o jogador iniciante esses são bons pontos de partida.


2.1 Cartas Master


Quantas cartas Master devo ter na minha Library de 90 cartas? Não existe regra exata, mas para a maioria dos jogadores fica entre 13 a 20,dependendo do número de cartas triffles e da velocidade que você "roda" o deck. Se o seu deck "roda" a mão rapidamente, isto é, joga uma grande quantidade de cartas minion em um turno, você irá querer ter uma menor quantidade de cartas master no deck, pois irá "travar a mão" (acumular cartas que não poderá jogar no turno) diminuindo as suas opções. Em contraste, se você roda a mão de forma mais lenta, você irá querer uma maior quantidade de cartas master.

Além disso, se você tem cartas que garantam fases master adicionais, ou que utilizam fases master, deverá balancear a quantidade de cartas master no seu deck de acordo.

Finalmente, se você tem uma forma de ter um tamanho de mão aumentado (Dreams of the Sphinx, Visit to the Capuchin, Elder Library, Fragment of the Book of Nod, etc.) ou que reduza a mesma, deverá balancear e refinar a quantidade de Masters.

Os erros mais comuns do iniciante são:
1) Ter fases Master desperdiçados, quando não joga nenhuma Master;
2) Faltar cartas Minion na mão, por ocasião de ter muitas cartas Master na mesma.

Isso pode acontecer até mesmo com os jogadores mais experientes, mas nos primeiros jogos com um deck novo você será capaz de distinguir se deve aumentar ou reduzir o número de cartas master do deck. Utilizar 80 a 90% de suas fases Master é considerado suficiente.

Então, que cartas eu devo escolher?

A primeira categoria são cartas que ajudem você a matar sua presa. Para um deck de sangramento, isso significa colocar cartas como Pentex Subversion

A segunda categoria são cartas que impeçam que você seja morto. Podendo ser diretamente, como Protected Resources, ou indiretamente como locations que deem intercept ou pool adicionais.

A terceira categoria são cartas que fortaleçam sua posição na mesa. Por exemplo, as cartas "Path" reduzem o custo para jogar determinadas cartas de certas disciplinas. Outras podem acelerar a influência de novos vampiros, como Effective Management, Zillah's Valley ou Information Highway.

Diversas cartas caem em diversas categorias, atingindo objetivos múltiplos. 

Nem todas as cartas Master se encaixam em todo deck exceto vessel, mas algumas são bastante comuns.

Considere as seguintes:

- Blood Doll e Vessel: Essas cartas permitem que você mova pool para um vampiro, ou blood de um vampiro para o seu pool. O combo clássico é utilizar juntamente a um Hunting Ground, ganhando 1 pool por turno sem fazer nada. Além disso, são cartas bastante versáteis para gerenciar o sangue me seus vampiros e mantê-los fazendo ações mais úteis do que caçar.

- Minion Tap e Villein: Essas cartas são mais rápidas do que a opção anterior, pois move uma grande quantidade de sangue de um vampiro para o pool de uma vez só, e velocidade é uma vantagem. Um uso clássico dessas cartas é retirar quase todo o sangue de um vampiro de alta capacidade para o seu pool, e então "encher" esse vampiro novamente (usando Taste of Vitae, Voter Vaptivation ou Giant's Blood) ou sacrificá-lo para ganhar ainda mais pool (com Golconda ou khobar towers, al-khubar). O preço de se usar Minion Tap ou Villein é que você não terá um recurso recorrente, como Blood Doll ou Vessel, além de deixar o vampiro bem enfraquecido.

- Hunting Grounds: Se a sua Cripta é composta de no mínimo 50% de vampiros do mesmo clã, você deveria incluir o Hunting Ground desse clã. É simples assim. :)

- Information Highway:  Um deck que queira usar seus minions o mais rápido possível é geralmente agressivo. Considere a utilização de aceleradores como Effective Management, Zillah's Valley ou Information Highway. Atente-se que para conseguir com que eles venham no início do jogo, deve-se incluir um minimo de 5-7 cópias, o que, dependendo do deck não justifica um espaço tão grande utilizado. Mas nos decks certos, utilizá-los no primeiro turno pode significar um primeiro VP fácil.

- Giant's Blood: É difícil pensar em uma razão para não incluir ao menos uma cópia de uma carta com um efeito tão poderoso. Em um torneio, fique atento pois a maioria dos jogadores terá uma dessas em seus decks, portanto jogue a sua primeiro assim que possíve, mesmo se o efeito for mínima.

- Direct intervention: Outra carta poderosa, e uma que vale a pena considerar ao construir Decks. A questão a se perguntar ao incluir uma carta Master é "incluir uma DI seria um melhor uso desse espaço?" Se a resposta for sim, não inclua a carta Master. 

- Cartas do Clã: Certos clãs possue cartas co efeitos realmente poderosos. Seja cuidadoso ao incluir essas cartas, pois algumas vezes o espaço seria melhor utilizado com cartas genéricas mais simples e funcionais.

- Cartas que ajudam a matar a presa ou na sua defesa: Essas são as melhores, específicas dependendo da estratégia. Será detalhado mais adiante.

Iniciantes podem querer colocar diversas cartas de disciplina no deck. Mesmo sendo boas, você deveria sempre evitar usar um espaço do deck para colocar essas cartas, afinal, a maioria das criptas bem construídas já possuirão as disciplinas necessárias para rodar o deck.


2.2 Matando a Presa


Sempre, SEMPRE pergunte a si mesmo: Qual é a minha estratégia para vencer?
Todo deck deveria ter uma, independente do que mais ele seja capaz de fazer. Você pode ser capaz de executar combos e jogadas mais legais do mundo, mas se você não estiver matando a sua presa, então você não alcançará a vitória.

Como você mata a sua presa depende enormemente no arquétipo do deck, mas incluir alguma forma de reduzir o pool da presa NUNCA é opcional.

Mas a frente será detalhado os arquétipos, mas por enquanto as formas clássicas de vitória são as seguintes:
a) Sangrar a sua presa com sucesso;
b) Usar votações para remover o pool de sua presa;
c) Usar combate juntamente com cartas suplementares (DragonboundFame, Tension on the Ranks);
d) Usar cartas específicas de remoção de pool (Choir, Army of Rats, Smiling Jack, Shatter the Gate);
e) Controlar completamente a mesa.

A opção A é a mais simples, e cada opção seguinte aumenta o grau de complexidade.


2.3 Defendendo-se do Predador


Em seguida, pergunte-se o seguinte: Como irei impedir que o meu predador
me mate?

Isso é menos importante que matar a sua presa, pois apenas sobreviver não lhe dará o GW. A quantidade de recursos que você devota para a defesa é um indicador claro do nível de agressividade do seu deck.

Considere o extremo da agressividade, o Malk 94 Sneak and Bleed. Em sua mais pura apelação forma, esse deck não faz nada mais do que sangrar em grandes quantidades com furtividade e não faz nada para deter seu predador, dependendo dos 6 pool que ganha ao matar as suas presas para continuar no jogo e esperando que consiga matar 3 presas antes de morrer.

Considere agora o outro extremo, o Wall do Tzimisce. Esse deck intercepta tudo que estiver em sua visão ;), e é o deck mais defensivo de todos. Em contraste, ele tende a ser ofensivamente fraco, dependendo de cartas como Army of Rats e Smiling Jack para matar a sua presa.

Geralmente, as estratégias mais comuns de defesa são as seguintes:
a) Bloquear as ações ofensivas de seu predador (block);
b) Aumetar o seu pool (bloat);
c) Redirecionar sangramentos para outros jogadores (bounce);
d) Espancar os vampiros Remover os minions de seu predador, impossibilitando-o de o atacar (board control).

Adicionalmente você pode considerar como estratégia, a manipulação da mão de seus oponentes para que travem com cartas que ele não poderá usar ou utilizar-se da lábia para convencer a mesa que determinado jogador é ameaça e te deixarem em paz.




Nos próximos posts, abordarei os capítulos restantes.

Link para o original em inglês (encontrado no LaSombra):
http://www.thelasombra.com/Asklepios-AGuideToPlayingVTES.pdf

Categories: , , ,

0 comentários: